O Chefe de Gabinete do Chefe de Gabinete

Ebrael

Alguém aí saberia me dizer o que faz o “Chefe de Gabinete do Chefe de Gabinete Pessoal da Presidência da República”? É o que andei sabendo por aí: existe um cargo assim designado na Secretaria-Geral da Presidência da República. E o ocupante do cargo é remunerado com dinheiro de quem? Da Presidente é que não é, obviamente.

Fui informado desse absurdo, desse deboche, através de um compartilhamento de imagem do Facebook. Baixei a imagem e fui atrás das informações. Realmente, a fonte confere. Nesse caso, a fonte é a Revista Época que, na edição de 09/04/2011, publicou uma matéria do colunista Luiz Maklouf Carvalho, intitulada O fiel escudeiro de Dilma, em que ele discorre sobre a “ficha” de Giles Carriconde Azevedo e o cita como Chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República.

Ver o post original 165 mais palavras

Anúncios

Há risco de guerra entre Ucrânia e Rússia, diz ministro ucraniano

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Andrei Dechtchitsa, denunciou hoje (23) que há uma concentração de tropas russas na fronteira oriental do país. Segundo ele, aumentou o risco de uma guerra com a Rússia.

Na avaliação de Dechtchitsa, a situação é ainda “mais explosiva” do que há uma semana. Segundo ele, se as tropas russas invadirem a Ucrânia a partir das regiões orientais, será difícil impedir uma reação dos ucranianos. O ministro ucraniano ainda acrescentou que a Ucrânia não sabia o que o presidente russo, Vladimir Putin, “tinha em mente e que iria decidir”.

exercito-russo-2

Mesmo diante da avaliação, Dechtchitsa assegurou que Kiev irá recorrer a “todas as medidas diplomáticas e sanções econômicas e financeiras para parar os russos”.

O secretário do Conselho de Segurança Nacional e de Defesa, Andrii Paroubii, que falava na Praça da Independência, em Kiev, onde vários ucranianos se reuniram em protesto, anunciou que as tropas russas estão prontas para atacar a Ucrânia “a qualquer momento”.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, declarou que Moscou “respeita todos os acordos internacionais sobre a limitação do número de militares nas zonas fronteiriças da Ucrânia”.